INTERCÂMBIO DEPOIS DE SER PAI É POSSÍVEL? SAIBA MAIS

Experimento Experimento | 07 agosto, 2020
Compartilhar:

Se tem uma cena muito comum no universo do intercâmbio é essa: pais e mães no aeroporto emocionados dizendo “até logo” para os filhos que embarcam rumo a uma experiência única e transformadora. 

Mas e se a história fosse ao contrário? Ou seja, filhos se despedindo dos pais e incentivando a realização de um sonho que não foi possível viver no passado? Pois é, fazer intercâmbio depois de ser pai (ou mãe) é possível, sim! 

Como no próximo domingo celebramos o Dia dos Pais, vamos compartilhar a história do Everson, Rodolpho e Randy. Os três têm algo em comum que vai muito além da paternidade: todos decidiram embarcar em um intercâmbio com a Experimento depois de terem filhos correndo pela sala. 

Um deles, inclusive, viajou para outro país enquanto a esposa ainda estava grávida para adquirir fluência no inglês e conquistar um futuro ainda melhor para a sua família.

Vamos nessa?

Everson, 53 anos, fez intercâmbio em Chicago, nos Estados Unidos

intercâmbio em chicago

Pai de 3 filhos, o Everson esperou todos crescerem para realizar o seu tão sonhado projeto pessoal: um intercâmbio em Chicago, nos Estados Unidos. 

A vontade de adquirir novos conhecimentos e a exigência profissional motivaram a decisão. “Foi interessante porque, normalmente, meus filhos que estariam neste papel”, disse. 

Ele encontrou em Chicago, nos Estados Unidos, dois requisitos imprescindíveis para o seu destino de intercâmbio: vivência multicultural e ensino qualificado. Everson estudou na Kaplan, uma escola renomada e parceira da Experimento, e conviveu com árabes, coreanos, japoneses, espanhóis e colombianos.

Atrações em Chicago

Chicago tem quase três milhões de habitantes e Everson aproveitou o contra turno das aulas para circular pela cidade norte-americana. Apesar de ter morado em um bairro muito bem localizado, com transporte público eficiente e acesso fácil ao metrô, Everson costumava optar pela caminhada para explorar a cidade. 

“Recomendo o Observatório 360 Chicago, a Roda Centenária do Pier, o Lago Michigan e atrações culturais como o Teatro Chicago”, conta ele, que também aproveitou o intercâmbio para assistir a um jogo do Chicago Bulls, uma experiência imperdível para os fãs de basquete.

Segundo Everson, os principais aprendizados do intercâmbio incluem a adaptação e a convivência com jovens em uma sala de aula. “Percebi que a generosidade e o carinho não existem pela nacionalidade, raça, cor ou idade. Esses atributos fazem parte do ser humano”, finalizou.

Randy, 48 anos, fez intercâmbio em Toronto, no Canadá

intercambio em toronto

Fazer intercâmbio depois de ser pai foi uma decisão capaz de intensificar a conexão entre Randy, de 48 anos, e seu filho Nicolas, de 14. Isso porque ambos viveram esse momento juntos.

Pai e filho viajaram para Toronto, no Canadá, em um intercâmbio de quatro semanas. Foi único poder compartilhar e vivenciar uma nova cultura junto com o meu filho. Vencemos dificuldades juntos e compartilhamos momentos que jamais esqueceremos”, disse.

Segundo Randy, a relação de pai e filho amadureceu. Isso sem contar a alegria ao observar o Nicolas interagindo com pessoas de outras nacionalidades. “Fiquei muito feliz ao vê-lo se relacionar com pessoas de outras culturas com orgulho de seu país e respeito aos seus semelhantes”, contou.

A importância de fazer intercâmbio com uma agência especializada

Randy destacou ainda a participação da Experimento na realização desse sonho em família.

“Desde o primeiro contato (um ano antes da viagem), me senti muito acolhido e muito seguro. A cada pergunta nossa, tínhamos uma resposta clara, motivadora e segura. Quanto mais detalhes do intercâmbio a Experimento nos proporcionava, maior era a vontade de que o dia da viagem chegasse”, lembrou entusiasmado.

Rodolpho, 33 anos, fez intercâmbio em Brisbane, na Austrália

intercâmbio em brisbane

A jornada do Rodolpho é um exemplo de coragem e determinação. Ele embarcou em um intercâmbio de seis meses em Brisbane, na Austrália, para conquistar um futuro melhor para a família. O grande desafio? A sua esposa estava grávida.

A escolha do intercambista foi motivada por uma situação vivida por muitos brasileiros. “Recebi um feedback negativo pela falta de domínio do idioma inglês em um processo seletivo para uma excelente oportunidade de trabalho. Foi difícil digerir aquele não porque eu tinha todos os requisitos da vaga, menos o idioma”, relembrou.

Rodolpho perdeu diversas oportunidades devido a falta de fluência no inglês. Então, ele compartilhou a angústia com a esposa e, após uma longa conversa e alguns acordos, ficou decidido que ele faria o intercâmbio.

“Mesmo enfrentando muitos preconceitos, desaprovações e muitos comentários do tipo ‘você é louco, cara, teu filho vai nascer’ de familiares e pessoas próximas a respeito da minha decisão de seguir com intercâmbio nesse momento tão importante da minha vida, a experiência de fazer um intercâmbio foi muito enriquecedora em todos os sentidos, seja pessoal ou profissional”, disse.

De volta ao Brasil

De acordo com a programação do casal, Rodolpho já estaria no Brasil quando chegasse a hora de a esposa dar a luz. No entanto, quis o destino que o filho viesse ao mundo um pouco antes. 

Rodolpho retornou para o Brasil este ano, em meio a pandemia da COVID-19, o que acabou adiando ainda mais o encontro com seu primogênito. 

“O primeiro encontro foi estranho, pois nos encontramos em meio ao caos proporcionado pela pandemia, então por mais que eu quisesse pegá-lo, abraçá-lo e beijá-lo eu não poderia submetê-lo ao risco de pegar uma doença”, contou.

Mesmo com tantas renúncias, Rodolpho alcançou seu objetivo profissional que, com certeza, será convertido em muitas oportunidades no mercado de trabalho. Isso sem contar o desenvolvimento pessoal, não é mesmo?

“Eu super recomendo a outros pais o intercâmbio, pois eu acredito que o intercâmbio é uma poderosa ferramenta de transformação do ser humano. Dificilmente, eles serão a mesma pessoa após vivenciar essa experiência”, incentivou.

Intercâmbio depois de ser pai é uma grande aventura

Essas são algumas das muitas histórias de Experimenters que decidiram embarcar em um intercâmbio depois da paternidade

Ser pai também é ser um sonhador. Um sonhador incansável que luta para realizar os objetivos dos filhos e, também, os próprios. Afinal, ser feliz e realizar sonhos nunca foi nem será uma questão de tempo.

Você também quer saber mais sobre intercâmbio ou incentivar o seu pai a viver essa experiência? Então clique aqui e converse com a nossa equipe de Experts

Autor
Experimento Experimento

A Experimento é pioneira no segmento de intercâmbio cultural, com mais de 50 anos de atuação no Brasil, é a maior rede especializada exclusivamente em intercâmbio cultural do país.

Formulário de Orçamento

Descubra mais sobre sua próxima experiência

Curso de idiomas
Programa de férias
High School
Au Pair
Work & Travel
Extensão Universitária
Programas Profissionalizantes
Study Abroad
Travel Plus
Trabalho Voluntário